Membros

Ricardo Coelho:  Gaita-de-foles (Galega, Mirandesa e Transmontana), Flautas, Requinta Galega, Adufe, Pandeireta, Voz

Nascido em 1979, em Vila Nova de Gaia. Iniciou aulas privadas de piano clássico com 11 anos de idade e aos 19 começa com a sua auto-aprendizagem em Gaita-de-foles, tendo sido acompanhado mais tarde pela professora galega, Maria Xosé López Villar.
Participou como gaiteiro e flautista nos grupos “Arrefole” de 2000 a 2005, “Bailebúrdia” 2005 a 2009, “Lúmen” de 2005 a 2007, “Trovas de Amigo” de 2008 a 2009 , “Míscaros” 2008 a 2012 e “Pé na Terra” de 2005 a 2015.
Actualmente, participa nos grupos,“Criatura”, “Karrossel”, “Zingamocho” e recentemente a “Eiró“.
Com 7 álbuns editados entre 2006 e 2015 e inúmeras participações em discos como convidado.
Paralelamente dá aulas de Gaita-de-foles desde 2004, na região norte e centro de Portugal.
Em 2015 entra para Academia de Artes de Chaves como docente no curso de Música Tradicional a lecionar Gaita-de-foles e na Escola de Música tradicional do Larouco.
Fundou e dirige o projecto “Gaiteirus.com”, que tem como propósito o estudo e divulgação da Gaita-de-Foles em Portugal.

Liliana Abreu – Bombo, Triângulo, Adufe e Voz

Liliana Abreu fez a sua primeira incursão no teatro com 14 anos.Tendo trabalhado em várias realidades distintas, facilitou e orientou sessões de Teatro com crianças e jovens, idosos e grupos caracteriais. Depois de um ano de trabalho nos Andes Peruanos regressou a Portugal para desenvolver um projecto de Sustentabilidade através da Arte. A vertente mais marcante do seu trabalho tem sido a arte em contexto de comunidade, quer em contexto urbano, quer em contexto rural. Foi criadora e coordenadora do projecto enRed´Arte.Organizou o primeiro festival de teatro do Concelho de Amarante, de nome ETC(encontro de teatro e comunidade), com cerca de 11 grupos de teatro, todos criados pelo projecto enRedarte, acima referido. Actualmente, dá aulas no Conservatório de Chaves. A Música é um desafio novo na carreira artística, tendo começado a dedicar-se à percussão tradicional desde 2014, essencialmente em formações tradicionais de Gaita, Caixa e Bombo. A relação com a música tem uma profundidade que reside na recolha e no repertório tradicional português, sendo esta a base de aprendizagem, ouvir, integrar e tocar.

Isabel Martinez – Gaita-de-foles (Galega, Mirandesa e Transmontana), Flautas, Requinta Galega, Adufe, Pandeireta, Voz

Nasceu em 1992, no Porto. Aos 17 anos integra um grupo de artes circenses e animação de rua, onde desenvolve o interesse pela música tradicional, percussão e gaita-de-foles. Pouco depois inicia o estudo de gaita-de-foles com Ricardo Coelho, com quem tem vindo a tocar desde então. É licenciada em Teatro pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, onde frequenta actualmente o Mestrado em Interpretação e Direcção Artística.

Jaime Correia – Gaita-de-foles (Galega, Mirandesa e Transmontana), Flautas, Adufe, Voz
Nascido em 1981 começou por estudar a gaita-de-fole na escola da APEDGF em 2009 com os professores Inês Gonçalves e Vasco Ribeiro Casais, continuando os seus estudos na área com aulas particulares com o professor João Tiago Morais. Frequentou posteriormente diversos workshops com gaiteiros como Daniel Bellón, Anxo Lorenzo e João Tiago Morais. Durante a sua carreira musical ingressa nos grupos Folk/Trad Orquestra de Foles, Shara Nan Khara, Tanira, Xabak, Colectivo Foice e Loba Galharda.
Começou a dar aulas na APEDGF em 2014 e colabora em diversos projectos da Associação Gaita-de-foles.

Tiago Ressureição – Caixa, Timbalão e Voz

Tiago Ressurreição é baterista/percussionista de rock e folk/trad. Deu os primeiros passos na bateria em bandas de covers de outros artistas com base nos ritmos arrojados do rock. Estreia-se em palco com o projecto Aos Bardos em 2004. Mais tarde, numa necessidade de busca de ondas diferentes e menos divulgadas, encontra as raízes pulsantes da música tradicional portuguesa e do folk europeu. É fundador do projecto Ogham Folk Music em 2008, onde trabalhou em parceria com João Ferreira Martins (Andanças, Arredas Folk Fest, Festa do Caldo de Quintandona, entre outros). Daqui, surge um conjunto de temas originais de índole tradicional misturado com influências modernas e inovadoras.
Participou em outros projectos ao longo do caminho, como Mirjam Decker e Filipe Pinto, e integra actualmente os grupos de música tradicional Colectivo Foice e Touriga.

Ricardo Santos – Gaita-de-fole Mirandesa, Galega e Transmontana, Voz, Adufe, Bilha.

É natural de Castelo Branco. Iniciou a sua formação musical em guitarra no Conservatório Regional de Castelo Branco. Foi ainda nesta cidade que estudou viola beiroa com o Mestre Alísio Saraiva. Multi-instrumentista, dedica-se principalmente à gaita de fole, instrumento que começou por estudar em Dezembro de 2004 na Xuventude de Galicia com o professor Gonçalo Marques e, mais tarde, na Associação Portuguesa Para o Estudo e Divulgação da Gaita-de-foles com os professores Miguel Costa e Vasco Ribeiro Casais. Teve formação na área das palhetas com Henrique Fernandes e Sito Carracedo. Sempre próximo de gaiteiros tradicionais, sobretudo do planalto mirandês, foi professor de gaita de fole na Escola de Música Tradicional da Lérias – Associação Cultural de 2011 a 2016 nos concelhos de Miranda do Douro, Vimioso e Mogadouro. Actualmente é professor de gaita de fole na Escola de Música Tradicional da Associação Cultural e Desportiva de Mindelo. Integra os projectos musicais Velha Gaiteira, Trasga, Gambuzinos, Bizarma e Zaragaitas.

Raquel Melo –  Voz, Adufe.

É natural da cidade do Porto, cresceu em Mindelo, onde desde cedo participou activamente no associativismo local ligado à música, onde desenvolveu as suas capacidades como instrumentista. Licencia-se em Antropologia pela Universidade de Coimbra e durante esse percurso académico, junta-se ao GEFAC e o gosto pela recolha, estudo e transformação de repertório tradicional português desenvolve-se. Aí, o bombo, a caixa, os adufes, pandeiros e a voz ganham força e corpo. Em 2015 integra como vocalista e instrumentista o grupo “Las Çarandas”, em 2017 é co-fundadora do grupo “Lôa Trovadoresca” e em 2019 integra o colectivo FOICE. Tem vindo a colaborar frequentemente com diferentes projectos no âmbito da música tradicional portuguesa, destancando-se colaborações com “Segue-me à Capela”, “Colectivo Ciranda” e a mais recente participação na gravação de temas para o novo album de Quiné Teles, “No Sotão da Velha”.

Scroll UpScroll Up